Loading...
You are here:  Home  >  Artigo  >  Current Article

Aditivos Booter

por   /  19 de maio de 2014  /  Sem comentrio

    Print       Email

Os aditivos para combustíveis e lubrificantes começaram a ser desenvolvidos na década de 1930. Ao longo do tempo, provou-se que a adição de substâncias que evitassem a rápida oxidação do lubrificante no motor, aumentassem a octanagem da gasolina ou que alterassem o ponto de ebulição e congelamento da água era necessária, por isso mesmo hoje não se pode vender óleo lubrificante sem aditivação mínima, é lei. E, a partir de 2015, toda a gasolina comercializada no Brasil terá de ter aditivação mínima. E a principal razão é o controle da emissão de poluentes. As montadoras desenvolvem veículos menos poluentes, mas é preciso garantir que estes veículos sejam mantidos ao longo de sua vida útil conforme as especificações do fabricante. Aí entram a melhoria das características dos combustíveis e o papel dos aditivos que, dependendo do tipo, podem manter o motor livre de depósitos (keep clean), eliminar a sujeira (clean up) ou aumentar a potência do motor (booster).
Vale lembrar que ao serem queimados, os combustíveis fósseis, como a gasolina e o diesel, transformam-se em energia (movimento), gases (principalmente CO2) e resíduos (carbonização). A formação de resíduos no sistema de alimentação é um problema que ocorre com qualquer veículo, pois o combustível, submetido às altas temperaturas (combustão), geralmente forma resíduos que podem se acumular, formando depósitos que causam obstrução dos injetores, carbonização nas válvulas e na câmara de combustão.
Uma das consequências do acúmulo de resíduos é a perda de potência do veículo. Isso torna-se relevante pelas características da frota brasileira: veículos de baixa cilindrada (1.0 e 1.4) e baixa potência. Para estes veículos, trabalhar com a máxima potência é essencial. Por isso vou destacar aqui os aditivos de tipo booster, que restauram a potência dos veículos evitando a pré-ignição, fator que influencia diretamente na octanagem da gasolina e no número de cetano do diesel, que facilita a ignição.
Uma gasolina de qualidade duvidosa junto aos resídios formados no interior dos cilindros, impede que o veículo trabalhe com o máximo de sua potência, consequência de uma combustão ineficiente, pois o combustível de má qualidade não resiste às altas pressões no interior dos cilindros sem sofrer detonação.
Quando o motorista adiciona um aditivo booster, como o Bardahl Max Power, é capaz de sentir a melhor resposta do veículo já nas primeiras arrancadas. Para os veículos a diesel, também há aditivos booster, como o Bardahl Power Diesel, que aumentam o número de cetano. Com este aumento, é possível melhorar as propriedades de ignição e a eficiência da queima do diesel, reduzindo o nível de ruídos e vibrações, melhorando as partidas a frio e gerando menor quantidade de resíduos.
Os aditivos tipo booster também evitam as incrustações dos depósitos de carbono na cabeça dos pistões, injetores, válvulas e demais partes metálicas. Porém, para eliminar depósitos de carbono já formados, é necessário usar um aditivo de tipo clean up, e recomenda-se os aditivos cuja ação de limpeza se estenda à câmara de combustão, como o Bardahl Fuel Special Cleaner indicado para gasolina.
Os aditivos funcionam, e o mais importante é identificar o tipo de aditivo que seu veículo precisa. Isso pode ser feito, por exemplo, consultando os fabricantes dos produtos ou seu mecânico de confiança.

Arley Barbosa
Arley Barbosa da Silva,
engenheiro de aplicação da Bardahl.

    Imprimir       Email
  • Publicado: 5 anos atrs 19 de maio de 2014
  • por:
  • ltim modificao: maio 20, 2014 @ 8:47 am
  • Arquivado em: Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Why ask?